quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Pelos Caminhos da Serra d'Arga

No passado dia 10 de Outubro de 2010, o Nicho Verde, em parceria com o Montepio realizou mais uma actividade de Interpretação e Educação Ambiental. A caminhada iniciou-se pela manhã, na aldeia de Montaria. O trilho realizado totalizou cerca de 10km de extensão, os quais permitiram o contacto com diversos habitats naturais, semi-naturais e rurais da região. Parte do Percurso acompanhou o vale do rio Âncora, sendo caracterizado por uma mistura de vegetação autóctone, essencialmente representada por exemplares de carvalho-alvarinho (Quercus robur) e amieiro (Almus glutinosa), e vegetação introduzida, essencialmente para produção florestal, como é o caso do eucalipto (Eucalyptus globulus) e o pinheiro-bravo (Pinus pinaster). Entre as espécies de aves observadas destacam-se várias espécies de chapins, entre os quais o chapim-real (Parus major), o chapim-carvoeiro (Parus ater) e o chapim-de-crista (Parus cristatus). Foi também possível observar e ouvir outras espécies como o Pisco-de-peito-ruivo (Erithacus rubecula), Toutinegra-de-cabeça-negra (Sylvia melanocephala), Toutinegra-de-barrete-negro (Sylvia atricapilla) e o Gavião (Accipiter nisus).Dos restantes grupos de vertebrados, observou-se lagartixa-ibérica (Podarcis hispanica), rã-verde (Rana perezi) e rã-ibérica (Rana iberica). O ponto alto das observações de fauna foi a detecção de dois exemplares de Salamandra-lusitanica (Chioglossa lusitanica), uma espécie de anfíbio classificada como vulnerável no Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal, apenas presente no noroeste da Península Ibérica. Este pequeno animal ocorre associado a habitats ripículas de ribeiros de montanha, onde predomine a vegetação densa e rochas cobertas com musgo. (Fotos)


terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Mais Humanos

Aqui fica uma informação sobre nove pessoas que conviveram com animais, alterando assim a forma como interagimos com eles. Na minha opinião, tornando-nos mais humanos (link)